Decifrando – Snake

Um simples órfão, uma aberração ou apenas mais um personagem de rostinho bonito?

 Yoo! Minna-san!

E o vencedor da votação foi o lindo do Snake. :3 Obrigada a todos que participaram e se você não teve seu personagem eleito, calma que ainda haverá outras oportunidades. Eu realmente gostei desse resultado, já estava querendo falar dele, mas precisava esperar o Book of Murder sair para que todo mundo entendesse. Ou seja, se você não viu o OVA pode levar alguns spoilers.

 

Bom, vamos ao vencedor.
Serei bem sincera logo de cara, apesar de lindo, misterioso e meio estranho o Snake não foi um personagem que chamou minha atenção à primeira vista. Tanto é que só fui realmente gostar dele depois do arco dos assassinatos, até porque antes disso ele não tem um grande destaque.

 

Primeiramente eu fiquei me perguntando se ele seria um charlatão ou um doido com essa história de falar e controlar as cobras. Vejam vem, tirando o Sebastian e os shinigamis tudo no mangá sempre remete a mais pura lógica. No próprio Book of Murder temos a suspeita de um vampiro que no final não se concretiza (para minha alegria).
Sendo assim eu simplesmente adorei a Yana pegar uma pessoa normal -até certo ponto- e colocá-la com um talento completamente diferente dos que até então os humanos da historia mostravam, em especial os empregados do Ciel. Ainda não se sabe como, mas Snake contra as cobras e só fala através delas e sinceramente quase não nos importamos de saber como isso ocorre.
Na trupe do circo ele teve apenas sua introdução, não participava dos sequestros nem sabia sobre o que seus amigos faziam. Essa parte é meio comovente porque apesar de tudo eles o aceitaram como parte da família e talvez, só talvez, eles não tenham colocado o Snake a par da situação justamente para protegê-lo.
 Quando foi animado o Book of Circus eu fui surpreendida pelo fato do
Snake mudar a voz conforme falava por cada cobra, achei uma jogada
fantástica, brilhante e que deixou o personagem caracterizado de uma
forma única. Quando soube que essa parte do mangá ia ser animada fiquei
bem preocupada dos diálogos do Snake acabarem chatos, estranhou ou
simplesmente sem graça porque uma coisa é ler e outra é ouvi, mas
felizmente me enganei.
Aproveito aqui para deixar meu único e eterno ressentimento ao Conde Ciel Phantomhive. É mais do que óbvio que ele tem atitudes duvidosas, questionáveis, etc e etc que não vem à discussão agora, mas fiquei profundamente chocada com a forma como ele enganou -e vem enganando- o Snake, dizendo que não sabe ao certo o que aconteceu com Joker e os outros.

 

Bom, talvez isso seja meio spoiler, mas como podem ter visto Snake vai acabar indo trabalhar na Mansão e devo dizer que como todo servo dos Phantomhives ele é brilhante então o grau de maldade dessa atitude do Ciel só aumenta. Uma jogada cruelmente fantástica do Conde que eu espero que lá na frente, quando o Snake descobrir a verdade, renda uma boa briga entre ele e o Sebastian. Vamos aguardar!
Pode ser classificado basicamente como um personagem cativante, mas ingênuo. A forma como ele fala através das cobras só pode me significar insegurança e até mesmo medo. Realmente espero que ele tenha destaque no decorrer da história como vem mostrando, é um daqueles personagens que começa do nada, que você gosta ou odeia, mas não espera muita coisa e então ele tem uma evolução tão grande que quando você relê o mangá (ou no meu caso vê a adaptação para anime) fica rindo que nem idiota toda vez que ele aparece.
Duas coisas me parecem certas sobre o Snake: primeira, ele é um dos poucos a sair vivo de um confronto (mesmo que fraco) contra o Sebastian e segunda ao final de tudo isso ele será um grande herói ou um terrível vilão. Afinal cobras são conhecidas por serem astutas, venenosas e traiçoeiras.
Ja ne!
Lady Michaelis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *