Decifrando – Madame Red

 Na família é Angelina. No hospital é a Drª. Dalles. Na alta sociedade é Madame Red. No submundo é Jack, o estripador.

Afinal, quem realmente é a dama de vermelho?

 

Yoo! Minna-san

 

Bom, hoje vou começar uma serie de post intitulado Decifrando onde falarei sobre vários personagens de Kuroshitsuji, com relação tanto ao anime quanto ao mangá.

 

E a escolhida para o primeiro Decifrando foi a Madame Red. A escolhi por diversas razões. Primeiro por ela ser uma figura sensacional que eu adoro, segundo porque vermelho também é minha cor preferida e terceiro por sua historia no anime ser bastante fiel ao mangá.
Então, vamos começar.

 

Antes de mais nada vamos relembrar um pouco sobre ela.
O seu verdadeiro nome é Angelina Dalles (ou Durless) e ela sustenta o titulo de Baronesa por ser viúva do Barão Burnett. Passou a ser conhecida como Madame Red por conta de seus cabelos vermelhos que a principio ela tanto odiava, mas com os anos passou a amar a cor e se vestir exclusivamente assim.

 

Quando mais jovem era bastante tímida por ter vergonha de seu cabelo e por conta disso admirava muito sua irmã Rachel. Depois que Vincent Phantomhive elogia a cor de seus cabelos dizendo que lembravam “lírios de aranhavermelho em plena floração” ela se tornou mais confiante e criou uma eterna relação de amor e ódio com essa cor.
 E eu acredito que foi a parti daí que começou a ser moldada a Madame Red que conhecemos já que ela se apaixonou por Vincent que acabou se casando com sua irmã.

 

Apesar de lamentar esse fato ela também se casou e depois do nascimento de Ciel demonstrou grande afeição por ele e Elizabeth mostrando o quanto ela gostava de crianças. Porém ela foi privada de um grande sonho que era ter um filho juntamente com a morte de seu marido e quando a mansão foi incendiada ela se desequilibrou totalmente.

 

Eu tenho muita convicção de que a parti do momento que ela perdeu tudo o que lhe restava, a irmã, o sobrinho e o cunhado que amava em segredo seu mundo se tornou tão vazio a ponto de nada mais atingi-la, ela  não temia mais nada. E foi assim que nasceu a verdadeira Madame Red e Jack, o estripador.

 

Acontece que ela se dava por satisfeita em simplesmente poder ver Vincent, em vê-lo feliz com sua irmã e ver o sorriso de Ciel. Enquanto eles estivessem felizes ela também estava. Depois que Ciel retornou ela se sentiu imensamente alegre, pois era uma parte do homem que amava e de sua irmã. Entretanto ela julgou a vida um tanto injusta por trazer Ciel e não Vincent. É uma lógica perfeita o que ela imaginou, se Ciel e Rachel morressem Vincent seria todo dela.

 

Mas como isso não aconteceu, como Ciel se tornou o Conde frio e Cão de Guarda da Rainha e ela já não podia ter filhos começou a punir todas as mulheres que procuravam seus serviços médicos para fazerem abortos. Em geral prostitutas. É aí que eu digo que ela pirou de vez, mas ao mesmo tempo atingiu seu ápice.

No começo muitos a julgamos louca ou influenciada pelo shinigami e talvez só porque ela tenha morrido e ficamos com pena a achamos legal. Mas para mim é diferente. Eu adoro a Madame Red, não por ser tia do Ciel, por usar vermelho, por trabalhar com um shinigami nem nada disso. Eu adoro a Madame Red por ela ser uma psicopata genuína.

Certo, me deixem explicar antes de ligarem pro sanatório. Há uma frase que eu gosto muito de um dos meus filmes preferidos. Ela diz que quando você entende seu inimigo bem o suficiente para derrotá-lo nesse momento você também o ama. Os psicopatas, assassinos e etc são sempre intitulados de pessoas sem empatia, frias e que não possuem nenhum sentimento. Eu discordo em grande parte dessa lógica e por isso a Madame Red é perfeita.

Para você abrir mão de sentimentos você tem que primeiro senti-los, assim como para derrotar seu inimigo, para derrotar e superar os sentimentos você tem que entendê-los. Ela era uma pessoa extremamente sentimental, mas tão sentimental que além do fato de matar as mulheres que ela julgava más ela também demonstrou todo seu amor por Ciel e por conta disso morreu.

 

Ela se sentia feliz vendo seu grande amor casado com outra, se sentia grata ao marido que não se importava dela gostar de outro homem e a tratou muito bem, ela se sentia responsável por Ciel. Ela se sentia mal pelas mulheres que abriam mão do privilegio da maternidade e talvez até mesmo culpada por evitar que várias crianças viessem ao mundo ao ponto de achar que sendo assim essas mulheres também não tinham direito a vida. Uma vida por outra seria um bom argumento para suas ações.

 

Ao mesmo tempo ela nunca se julgava errada, pensava estar fazendo o certo. E quando Grell forjou seus álibis perfeitos, ela sabia que seria questão de tempo até o Cão da Rainha começar a investigar e mesmo assim continuou e no final não foi capaz de atacá-lo. Porque no fundo ela não poderia tirar a vida de uma criança que a criação perfeita da natureza, algo que só as mães são capazes de gerar ainda mais se analisarmos o ponto de vista medico dela. E pior ainda, aquela era um criança de pessoas que ela tanto amavam neste mundo.
Está tudo na sua cabeça. Eles dizem. E tudo o que eu vejo é vermelho. Um mar de vermelho.
Eu poderia ficar horas falando sobre ela. De como o pensamento dela sobre festas é irônico. Ela as odeia e mesmo assim não deixa de comparecer a nenhuma, pois acredita que as mulheres têm que se demonstrarem frágeis e fofas (coisa que ensinou a Elizabeth) mesmo que no fundo sejam mais fortes e perigosas do que qualquer um pode pensar.
De como as aparências tem um papel importante pra ela, afinal demoramos muito tempo para cogitá-la como culpada ou mesmo aceitar esse fato. Isso também leva a pensar se talvez certos sentimentos e diálogos como o que ela têm com Sebastian sobre cuidar do Ciel são verdadeiros, planejados ou mesmo se ela previa sua morte. Mas infelizmente essas questões eu deixo para cada um pensar a respeito.
Então que fique aqui a minha parabenizarão a Yana Toboso por criar uma personagem tão bem arquitetada e trabalhada em todos os sentidos. E que fique aqui também a minha eterna admiração pela Madame Red, uma mulher de múltiplas faces e um só coração.
Sem falar é claro que graças a ela conhecemos nosso querido Grell, que será o próximo personagem a ser analisado.

 

E como não poderia faltar o gif mais épico da historia dos gif. =D
Quem não queria ser a Madame Red nessa hora, hein?
  Ja ne!
Lady Michaelis

29 thoughts on “Decifrando – Madame Red

  1. Amei esse Decifrando, principalmente por eu ser apaixonada pela Madame Red. Todos os personagens de kuro são muito cativantes, mas eu sempre guardo um carinho especial por alguns. Madame <3 pensei que só eu (ok, não vou sendo tão egocêntrica, óbvio que outra pessoa também) amava/amo ela, diva demais (sinceramente, nunca gostei muito do Grell, só pelo fato dele a ter matado, embora tenha sido melhor que ela tenha morrido….)

    1. Ihuuu! O/ Mais um companheiro fã da Madame. ^_^
      Eu entendo como se sente pelo Grell, tbm guardo certo rancor pelo que ele fez com a Madame Red, mas isso tbm mostra que ele é um shinigami, que faz o que tem que fazer, que ao mesmo tempo que diz gostar do Sebastian e Will tbm é frio… E por fim acabo gostando dele. Coisa que pretendo explicar melhor no próximo Decifrando. =D

    2. Sim, sim, ansiosa pelo próximo decifrando. A verdade é que eu nunca entendi muito bem o Grell, não sei, ele não tem um passado (desconsiderando o OVA, to pensando mais no mangá) ele apenas ta lá, agindo como uma mulher, e se tarando pra cima dos personagens masculinos. Acho ele um traveco estranho, nada mais. (Outro mini-rancor, ele disse que a Madame não era digna de usar vermelho! Como assim?! A vida dela toda foi no vermelho, ela é tipo a reencarnação do vermelho, ele só gosta da cor mesmo, como ousa!)

    3. kkkkkkkkkkkkk
      Ai, ai, ai…Quase morri aqui. Realmente você tem uma visão bastante peculiar do Grell e eu concordo com você, vermelho é da Madam Red. Acho que esse Decifrando vai ser bem interessante então.
      Assim que resolver tudo referente ao live action eu vou postar.
      Obrigado por comentar Anoy-san. =P

  2. Ameeeei sua análise da Madame Red! Eu também gosto bastante dela como personagem! Amei o "Decifrando", mal posso esperar pela análise do Grell! *—* (Outro psicopata… >.<). Sobre a última gif: Pensamentos da Tia Ang: Ôôô lá em caaasa! >.<

  3. Nossa amei a sua descrição da Madame Red, simplesmente sugoii *–* Sempre achei ela uma personagem "montada" com uma personalidade marcante. Esse é um ponto muito legal da parte da do manga da Yana pois a maioria dos personagens possuem sua personalidade bem destingível e as suas escolhas dos mesmo nunca fogem a maneira em que pensam.

    Agora falando dos psicopatas, eu sempre amei ler e estudar sobre o assunto -não é atoa que estou fazendo faculdade de psicologia. Eu acho que eles possuem alguns sentimentos e são, geralmente, baseados neles que os psicopatas fazem a escolha das suas vitimas, porem eles não possuem o sentimento de culpa e remorso pois o campo no cérebro que é relacionada é essa área não á ativo. Claro não são todos os psicopatas que são dessa maneira pq pra tudo nessa vida existe uma exceção.

    Para terminar….
    COMO EU QUERIA SER A MADAME RED NAQUELE GIF }º0º} mas kkk obvio não iria apalpar APENAS a bunda do Sebbt pq né tem que aproveitar a chace.

    1. Nossa… Eu adora essas coisas psicológicas e acho o curso superior muito interessante, mas não animo de fazer, sei lá não é bem a minha praia.
      Poisé… Psicopatas não sentem culpa, mas me parece que a Madame Red meio que se arrepende no final, aquela lágrima… Talvez eu só goste muito dela e queira acreditar que ela tinha um lado sensato.
      Yana-sama trabalhou muiiiiito bem nela. Tanto é que mesmo agora, anos depois ela ainda é uma das personagens mais marcantes, merecia uma capa num volume só dela. =D

  4. Lady Michaelis o/
    Compartilhamos o mesmo pensamento sobre a Madame Red
    A frieza e o sentimento por trás das ações dela, ahhhhh a Yana criou o personagem desde a base até o acabamento. <3
    Tenho um caderno que a Madame Red está na capa >.<

    1. OMG! Que divo.
      Se eu usasse cadernos com certeza eles teriam muitas colagens e personagens de animes nas capas.
      Mas eu sou mais fã de fichário.
      Que bom encontrar alguém com a mesma opinião. =D
      Vamos ver o que acontece com o Decifrando Grell.
      Até lá!

  5. Eu amo muito a Madame Red, sempre achei ela engraçada principalmente nessa cena. Bem eu acho ela muito perfeita mesmo ela sendo a pessoa que tudo deu errado na vida

    1. kkkkkk
      Se o Ciel não fosse a cara do pai e da mãe eu até poderia pensar algo assim, mas acho ele uma copia muito fiel de Rachel e Vincent.
      Acho que uma pulada de cerca aí meio difícil. =P

    2. É uma das minhas teorias malucas. O fato de Ciel ter os olhos da Rachel não prova muita coisa, afinal, quantas pessoas nascem sendo a cópia fiel de um tio, avô ou sobrinho. Madame Red até menciona a semelhança entre os olhos do Ciel é da Rachel e em seguida diz "até isso você tirou de mim, irmã" …. Então não é tão improvável. E quanto o fato de não ter filho, o acidente que deixou a Angelina impossibilitada de ter filhos só aconteceu muito tempo depois de Ciel nascer.

      embora vejamos Angelina no parto de Rachel com o Ciel. …..mistério que só Yana pode explicar.

Deixe uma resposta para Anônimo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *